segunda-feira, 25/04/2011

Exercício de explosão muscular ajuda a derrubar o estresse

 
Dá mais resultados positivos sessão de 30 minutos do que aula de uma hora


FOTO: LEO FONTES

Intensidade. Estudo mostra que fazer exercício físico que exige esforço é mais eficiente contra o estresse
Denver, EUA. Sessões longas de exercícios não são tão efialisticazes no gerenciamento da pressão causada pelo estresse quanto as sessões de exercícios de explosão intensos e objetivos - estes últimos podem melhorar o seu humor em poucos minutos, afirmam os especas.


Quando o estresse derruba você, a tendência é que você abuse do álcool ou de "comfort foods" (comidas que despertam sensações agradáveis que evocam o prazer e o bem-estar ligado à infância, à história de vida), vegete em frente à TV ou esconda debaixo dos cobertores. Uma pessoa atlética pode até optar por uma corrida longa.


Mas os especialistas em condicionamento físico dizem que há uma aposta melhor para se obter resultados mais rápidos no combate ao estresse: treinamento intervalado rápido alternado com períodos de descanso.


Saber que um programa de exercício de 30 minutos dá mais resultados positivos do que uma sessão de uma hora ou mais pode ser boa notícia, já que a falta de tempo é a desculpa número um que as pessoas usam para não fazer coisas saudáveis.


O estudo "Estresse nos Estados Unidos", da American Psycological Association, feito em 2010, mostrou que mais de 50% das pessoas viviam com níveis de estresse moderados e elevados, tendo como causas principais o dinheiro (76%), o trabalho (70%) e a economia (65%). Mais de mil pessoas com 18 anos ou mais participaram do estudo anual online.


Richard Ruiz, proprietário e treinador da academia STAC no Greenwood Village, ensina seus clientes a como "programarem" seus corpos para que eles possam responder ao estresse. A solução é usar explosões de atividades de alta intensidade e o movimento similar ao do treinamento militar para livrar o corpo dos hormônios nocivos que o inundam durante uma crise.


Exercícios aeróbicos, tais como corrida, liberam a endorfina do bem-estar que funciona como destruidora do estresse. Mas as pessoas podem exagerar nos exercícios cardiovasculares, dizem os especialistas. Fazer atividade aeróbica por mais de 45 minutos eleva os níveis de cortisol na corrente sanguínea.


A mesma coisa acontece quando os atletas levantam peso por mais de 60 minutos, forçando o corpo a ir da construção dos músculos para a destruição deles e a corrosão das células musculares.


Em contrapartida, corridas de velocidade com intervalos entre as corridas para se recuperar, treinamento de circuito de peso, exercícios de agilidade ou movimentos como os de avanço e agachamento liberam HGH e endorfinas que eliminam o desconforto associado com a tensão muscular.

Traduzido por Ana Paula Siqueira

RECUPERAÇÃO
Organismo precisa de tempo
Denver. Dianne Bailey, proprietária de uma academia, reforça a importância de não só liberar o cortisol, mas também de dar tempo ao corpo para se recuperar. O hormônio de crescimento humano é produzido enquanto dormimos e relaxamos, repondo as vitaminas, os nutrientes e a massa muscular perdidos durante a pressão.


"Explosões de energia altas e intensas seguidas de recuperação ensinam o seu corpo como utilizar o estresse", diz Bailey, uma especialista em força e condicionamento.


Se você não consegue ir à academia, Bailey sugere que se use uma bola medicinal para fazer exercícios de agachamento e arremesso lateral ou se faça séries de polichinelo, marcha ou corrida sem sair do lugar, pule corda por 60 segundos, seguidos de intervalos de exercícios de "wall sit", flexão na cadeira ou elevação no sofá.


Uma dieta bem balanceada com lanches saudáveis fracionados ao longo do dia também é uma boa ideia. Saltar as refeições e comer irregularmente aumenta os níveis do cortisol, já que muitos carboidratos liberam cortisol extra e causam picos de insulina. O sono consistente também combate o hormônio do estresse.


Escolha a atividade que funciona melhor para você ou siga um programa de treinamento militar aliado à meditação – duas formas de dizer não ao estresse. (SRW/NYT)

Dê o fora no cortisol
Quando as pessoas discutem, ficam presas no trânsito ou correm para cumprir prazos, a glândula adrenal secreta o cortisol – hormônio que ajuda o corpo a lidar com as situações de "luta" ou "fuga".

O cortisol dá um impulso necessário para o corpo se adaptar a uma situação de estresse. Os níveis de cortisol estão mais altos entre as 6h e as 8h para acelerar o corpo para as atividades diárias. Depois, caem um pouco antes da hora de dormir para nos ajudar a adormecer.

Mas, durante os ataques contínuos do estresse, o cortisol começa a destruir gradualmente a proteína dos músculos, enfraquece o sistema imunológico e leva o organismo a reter gordura para se sustentar – o que leva a doenças e frustra os esforços de perda de peso ao sabotar o metabolismo.

O Tempo

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação

CAPTCHA
Este recurso é para evitar postagens automáticas
Image CAPTCHA
Digite os caracteres mostrados na imagem.


Política de Privacidade | Entre em contato
© 2008-2014 plox.com.br Todos os direitos reservados. Primeiro portal de notícias e entretenimento do Vale do Aço