quinta-feira, 20/08/2009

Aposte na combinação de cores inusitadas sem risco de errar

Para quem está em dúvida sobre que cores usar na decoração da casa, consultamos especialistas para nos dar ideias de combinações alegres e inusitadas, mas que sempre dão certo. Confira


Yara Guerchenzon


Se você está redecorando a casa e está cansado daquelas cores neutras e sem vida, que tal sair do lugar comum e usar tons vibrantes nas paredes, móveis, tecidos e acessórios, para encher a casa de energia e personalidade?
Mas nem pense em correr riscos. A ideia é dar vida à casa mas sem medo de errar na dose. Afinal, tem muita gente que se atira em combinações extravagantes e acaba não gostando do resultado final. A seguir, três profissionais dão sugestões de combinações coloridas e modernas que não oferecem chance de erro!

Cinza, marrom e laranja

Para o arquiteto Ricardo Caminada, é importante definir primeiro as cores que tenham a ver com o perfil e gosto dos moradores. Passada essa fase, é hora de se pensar em alternativas. “Eu, por exemplo, gosto muito de combinar marrons com cinza somado a uma cor vibrante, como o laranja. São cores clássicas com uma pitada vibrante que traz movimento e alegria ao espaço. É uma fórmula que dificilmente dá errado”, explica.

O arquiteto sugere que as paredes sejam pintadas com cinza, os móveis sejam no acabamento natural de madeira, mas em dois tons de marrom, “como areia e o próprio marrom”, combinados com acessórios em laranja, para objetos, tapetes e almofadas. “Com uma base neutra, a maioria dos tons vibrantes se encaixam”, argumenta.

Azul e verde

Muito além das cores óbvias que sempre dão certo, como branco e preto, preto e bege, azul e branco e branco e bege, Denise Barretto indica os tons de cinza, do claro ao grafite. “São opções que vibram bem com os beges, frios ou quentes. Os beges podem ser usados nos estofados e móveis; e os cinzas nas paredes e no tapete, como um envoltório”.

Outra dica é mesclar o amarelo forte com o bege, numa mistura que traz alegria. “O amarelo pode ficar bem nos estofados, no tapete ou onde a criatividade permitir. Já o bege deve ser usado em maior quantidade no ambiente”, define.

Já os vermelhos ou cerejas e tons de marrom resultam em uma harmonia quente e equilibrada. “Todas as variações neste tema são possíveis e ficam agradáveis”, atesta a arquiteta. “Podemos ter vermelhos, cerejas e beterrabas em peças, tecidos e até em uma parede. E os havanas e marrons podem ser empregados em outros elementos, como estofados e móveis”.

“E, para lugares quentes, ou para quem busca um resultado suave mas com vida, a mescla entre o azul e o verde é bem-vinda, principalmente nos tons aquarelados, ou seja, desbotados”, comenta. “O azul e o verde podem estar presentes em tecido estampados, paredes com listras e poltronas em jeans. Junto de plantas e fibras naturais, o ambiente fica uma delícia”, completa.

E a arquiteta ainda dá duas dicas:

-“Brincar com vários tons da mesma gama traz diversidade e deixa o ambiente com personalidade forte sem ser óbvia”

-“Cores mais fortes e vibrantes precisam ser acompanhadas de tons neutros como o branco para que possam ficar completas”

Beringela e azul turquesa

Berinjela, vermelho tomate, verde cítrico, pink, dourado, azul turquesa, amarelo gema e beaujolais são alguns dos tons presentes na própria casa de Neza César. Ousadia? Não, bom gosto mesmo. E a capacidade singular de mesclar tons vibrantes de forma equilibrada e com maestria. Um forte traço de seu trabalho, a designer de interiores brinca com as cores como um pintor com a sua paleta, sempre desafiando o inusitado.

Como sugestão, indica experiências que já fez em vários ambientes de sua casa, como a sala de almoço, que ganhou paredes em amarelo gema na parte superior, rodameio em branco e cinza na parte inferior. Nessa combinação, “Eu ainda acrescentaria o bordô como cor contrastante”, sugere.

Outra possibilidade é misturar berinjela com azul turquesa e um toque de amarelo gema. Ou verde com amarelo e detalhes vermelhos, para os mais ousados. Na sua suíte, criatividade é o que não faltou: as paredes receberam dois tons de verde, sendo o mais claro emoldurado por frisos em vermelho, mesma cor do lambri que serve de painel de cabeceira.

Como dica, Neza afirma: “Não concordo quando dizem que cores fortes e vibrantes só ficam bem em ambientes grandes, caso contrário o local pode transmitir a sensação de ser menor do que é na verdade. Acho besteira. Para mim, basta que a porta, a janela, o teto e o rodapé sejam brancos para que as paredes possam ser pintadas com cores fortes”, finaliza.

 Ig

PUBLICIDADE

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação

CAPTCHA
Este recurso é para previnir postagens automáticas feitas por spammers.
Image CAPTCHA
Digite os caracteres mostrados na imagem.


Política de Privacidade | Entre em contato
© 2008-2014 plox.com.br Todos os direitos reservados. Primeiro portal de notícias e entretenimento do Vale do Aço