sábado, 26/01/2013

Polícia Militar prende mulher considerada “lenda” do tráfico em Fabriciano

Foto: divulgação

A Polícia Militar de Coronel Fabriciano informou que foi presa em flagrante nesta sexta-feira (25), Lucely Márcia de oliveira, 46, que segundo os militares é conhecida como a “lenda” do tráfico de drogas na cidade.

“Depois de cerca de 20 anos traficando, finalmente colocamos a mão nela”, afirmou um dos policiais.

Ainda segundo as informações passadas pela PM, a detida, que é conhecida como “Loira” e “Ziza”, foi presa ao abrir o portão de sua casa, que fica na rua Pará de Minas,15, no Melo Viana, para atender a mais um “cliente”.

“Nem Deus me prende, sou da alta”

Os policiais responsáveis pela prisão informaram para reportagem do Plox que a casa de “Ziza” era uma fortaleza. “Na casa tem sistema de monitoramento com câmeras de TV para ver quem se aproxima e tem até um tubo por onde ela poderia jogar a droga para cair diretamente na rede de esgoto”, explicaram.

Os policias afirmaram ainda que há muitos anos a presa conseguia escapar. “Ela chegou a afirmar uma vez que nem Deus poderia prendê-la, pois seus clientes eram todos da alta sociedade e ninguém conseguia prendê-la”, afirmou.

O tenente Marcos disse que há cerca de três meses começaram a monitorar as imediações da casa de “Ziza” e que as filmagens foram enviadas para o Ministério Público e para a juíza da comarca de Fabriciano que concedeu o mandado de busca e apreensão para a residência da suspeita. “As imagens são claras. Filhinhos de papai e pessoas da alta eram seus principais clientes. A droga é mesmo uma droga”, indignou-se outro policial que também conversou com a equipe do Plox.

Camisas e Calças

Os militares informaram que quando se deslocavam para o endereço de Lucely (Loira), com o objetivo de cumprir o referido mandado, abordaram um veiculo Golf, de cor prata, cujo condutor foi visto conversando com a suspeita na residência dela.

Durante as buscas no veículo encontraram uma pequena embalagem plástica, com vestígios de uma substância aparentando ser cocaína. O motorista contou que ele e o amigo, que viajava no banco de carona, tinham acabado de consumir a droga que compraram instantes antes na casa de “Loira”. Eles teriam dito ainda que para comprar a droga havia uma senha: como a suspeita se passava por costureira, um deles chamou no interfone e pediu “uma camisa de 20”. Saíram do local com um papelote de cocaína no valor de R$ 20, sendo que cada um pagou R$10 e dividiram a mercadoria dentro do carro e seguiam para o centro de Fabriciano quando foram abordados pela viatura do sargento Jair.

“Diante deste depoimento, nos deslocamos até a residência da autora Lucely, momento em que o cabo Juliano, ao aproximar-se do portão, encontrou-o aberto e deparou com a autora atendendo a uma pessoa, procedendo de imediato a abordagem, encontrando nas mãos dela, uma bolsa de couro de cor preta e uma pequena lata. Ao verificar no interior da citada lata, localizou-se 52  papelotes de substância em pó aparentado ser cocaína, sendo 42  menores e 10 maiores. Na bolsa foi encontrada a quantia de R$ 682”, explicou o policial.

Da casa é possível ver todo o movimento na rua, o que, segundo a Polícia, tornava mais difícil a prisão.
 

“Ziza” assumiu ser traficante

Ainda de acordo com depoimentos dos policiais, devidamente registrado no Boletim de Ocorrência, Lucely admitiu que é traficante. “Ela assumiu que realiza a comercialização de entorpecentes [cocaina]. Em seu poder estavam os papelotes menores, que ela vendia por R$ 20 e os papelotes maiores que ela vendia por R$50. Ao procedermos as buscas no interior da residência, foi localizada uma agenda contendo anotações com nomes e valores relativos à contabilidade do tráfico, além de um pote contendo R$ 136 em moedas”, declararam.

Os policiais informaram que todo o material e o dinheiro que estavam na casa foram apreendidos. Eles afirmaram ainda que o carro da presa também foi apreendido. “Foram realizadas buscas no veículo Fiat Siena, de cor preta, que era utilizado pela autora para o transporte e venda de drogas, sendo encontrado no interior deste o valor de 100 euros”, afirmaram.

 

 

Os policiais ainda informaram que a casa é mobiliada e ornada com objetos valiosos que seriam incompatíveis com a renda declarada pela mulher. “O homem que conversava com a suspeita, se tornou testemunha. Ele admitiu ser usuário de drogas e que estava na residência com o objetivo de adquirir cocaína para o consumo, tendo em vista que já tinha o costume de realizar a compra dos entorpecentes com a referida autora”, disseram.

Em um site de relacionamento, eram postadas fotos em festas

Os militares informaram que a mulher que confessou ser traficante foi conduzida para a Delegacia de Polícia Civil de Ipatinga e mantida presa por ordem do delegado de plantão. Se condenada, a mulher pode pegar de seis a oitos anos de prisão.
 

Polícia



Política de Privacidade | Entre em contato
© 2008-2015 plox.com.br Todos os direitos reservados. Primeiro portal de notícias e entretenimento do Vale do Aço