ter, 10/01/2017 - 15:12

Descubra os dez piores erros ao se vestir para o trabalho

tas mulheres têm também dúvidas a respeito do que cai bem e do que é apropriado para o ambiente profissional.

Todo dia pela manhã é a mesma pergunta: que roupa usar para trabalhar? Muitas mulheres têm também dúvidas a respeito do que cai bem e do que é apropriado para o ambiente profissional. Tênis, rasteirinha ou salto alto? Unhas curtas ou compridas? Minissaia, blusa de alcinhas, decotes, transparências? São várias as interrogações que aparecem na frente do espelho todo dia pela manhã.

Para jogar um pouco de luz nessa dúvida diária, Rosângela Espinossi, jornalista, consultora e palestrante de moda, acaba de lançar o e-book 101 segredos para se vestir sem erro no trabalho (Editora Alpendre, 2016, R$ 15,50), com prefácio do estilista Amir Slama e ilustrações do artista plástico Felix Fassone.

"Entre os principais erros, está o fato de a pessoa não conhecer seu próprio corpo e ignorar o dresscode de cada empresa”, diz a autora, que associa o formato da publicação ao verdadeiro livro de bolso.

“Pode ser levado para todos os lugares, dentro de celular, do tablet ou notebook”. Além das dicas, o livro traz informações históricas e um glossário com palavras que nem sempre fazem parte do dia a dia de quem trabalha fora.

Rosângela aponta os 10 erros mais comuns que as mulheres cometem ao se vestir para trabalho, e avisa: “este guia não quer ser o dono da verdade. As dicas caminham pelo senso comum, mas cada mulher deve respeitar seu próprio estilo dentro do dresscode da empresa ou da função que exerce.”

O livro pode ser encontrado em todas as livrarias virtuais do Brasil e do exterior. Esta versão é para mulheres, mas em 2017, a ideia é lançar um guia direcionado ao mundo masculino.

Confira os 10 piores erros ao se vestir para o trabalho e fuja deles

1 - Desconhecer os códigos da empresa

Há empresas formais e informais. Jeans rasgado e chinelos de dedo numa empresa superformal nunca vão ser uma escolha legal, assim como ir de terninho estilo Chanel a uma startup do mundo digital também causa estranhesa. Da entrevista de emprego ao dia a dia na firma, os códigos da empresa devem ser seguidos e conhecidos. Não tem muito como fugir disso.

2 – Nas alturas? Nem tanto

Saias e vestidos muito curtos estão entre os principais erros cometidos pelas mulheres, que muitas vezes confundem roupa de trabalho com look de balada. “Não dá para abusar das minissaias, mesmo que suas pernas sejam mais torneadas do que as das rainhas de bateria de Carnaval”, diz no livro.

A medida ideal é até quatro dedos acima dos joelhos, mesmo assim, é preciso ver se o tecido se sustenta e não escorrega demais, deixando mais do que deve à vista. Faça o teste: coloque a peça e sente-se, de preferência na frente do espelho. Você vai ter a noção exata se a peça é confiável ou não. Nem precisa falar, mas fendas profundas também não batem cartão.

3 – Transparências demais

Sim, elas podem ser usadas no trabalho, mas com moderação. Em locais que não chamem mais a atenção do que sua capacidade profissional. O principal erro neste quesito é abusar do recurso. Claro que não dá para se vestir como o vestido que Cláudia Leitte se vestiu outro dia no The Voice , com vestido de transparência lateral quase de cima a baixo. Mas um detalhe na manga, no colo, no ombro pode ir ao trabalho sem problemas.

4 – Exagerar nos penduricalhos

Os acessórios são ótimos aliados dos looks de trabalho, principalmente porque têm a capacidade de mudar uma roupa básica. Mas seu uso deve ser feito com moderação. “Não dá para usar maxibrincos, maxicolar e mil pulseiras tudo junto. Uma por vez, por favor.” Aliás, as pulseiras são outros elementos que merecem atenção. Dependendo do modelo, podem fazer barulho incomodando você, seus colegas e até a chefia.

5 – Decote, na medida do bom senso

As celebridades são craques em usar e abusar dos decotes como elementos fashion e de sedução, mas não dá para copiá-las na hora de trabalhar. O decote em V é o que melhor valoriza a mulher, dando a sensação de alongamento, mas ele deve chegar até, no máximo, onde começam os seios. Mais que isso é exagero. “Digo sempre que o melhor decote é aquele que chega até a medida do bom senso”, diz Rô Espinossi. Por outro lado, uma peça muito fechada pode deixar o look muito careta. Na dúvida, olhe-se no espelho.

6 – Saltos e sapatos

Há profissões que pedem sapatos com salto, mas o uso diário de calçados altos pode comprometer até a saúde. Então, fica a dica: saltos de 3 a 5 cm são o ideais para uso no dia a dia do trabalho. Botas de cano superlongo não são indicadas para o trabalho, como as over the knee , incômodas e sensuais demais para uso durante o batente. “Faço concessão a algumas rasteirinhas, pois vivemos num País tropical. Há modelos chiques e bacanas, mas se tiver um saltinho, a elegância agradece. E claro, os pés e as unhas devem estar impecáveis.”

7 – Alcinhas

Sutiã aparecendo é pecado grave, principalmente para funções mais formais. Hoje, há tops bacanas que fazem a função de sutiã, que até podem aparecer sob as blusas, mas depende muito de seu cargo, função e da empresa. Na dúvida, aposte em blusas que não permitam o sutiã à vista. Por falar em alcinhas, as regatas de alcinhas finas devem ser usadas com moderação. O ideal é que as alças tenham a medida suficiente para não parecer um roupa informal demais: uns 5 cm está de bom tamanho.

8 – Justo demais

Peças muito justas, mesmo em comprimentos normais, não são a melhor opção para uma peça de trabalho. Dependendo do tipo de tecido, a situação pode até piorar. Malhas finas, viscose e tecidos leves marcam mais do que devem e podem subir, repuxar e fazer das oito horas um martírio dentro de uma roupa muito apertada. A opção é sempre optar por tecidos encorpados e esquecer peças que parecem embaladas a vácuo quando vestidas.

9 – Sem roupa

Ops. Não é bem isso. Além da roupa, há outros quesitos a se observar. Higiene dos cabelos, dos dentes e do próprio corpo é fundamental no trabalho, além de unhas bem feitas e depilação em dia nos pontos aparentes: axilas e pernas. Um deslize neste quesito e pronto, sua capacidade e esforço vão por água abaixo.

10 – Exageros

Unhas compridas demais, como garras, podem fazer parte de seu estilo, mas nem sempre são ideais para algumas funções, como digitar. Usar perfume demais não é só falta de elegância, mas pode incomodar colegas ou até a chefia, pois há muita gente alérgica a cheiros. E todos os demais excessos possíveis: falar alto demais; prestar mais atenção no colega do que no trabalho; ficar muito tempo no celular e nas redes sociais são atitudes que devem passar longe do batente.

O livro " 101 segredos para se vestir sem erro no trabalho"

Criado especialmente como livro digital, " 101 segredos para se vestir sem erro no trabalho" aproveita as funcionalidades do formato ao incluir links internos que facilitam a consulta ao glossário e enriquecem a experiência de leitura. Para a autora, este é o verdadeiro livro de bolso.

“Afinal, pode ser levado para onde a pessoa for, dentro do seu seu celular, tablet ou notebook.” Está à venda nas principais livrarias, como Amazon brasileira e a americana , Apple , Kobo , Google Play e Saraiva .

Sobre a autora Rosângela Espinossi

A autora do livro "101 segredos para se vestir sem erro no trabalho", Rosângela Espinossi é jornalista especializada em moda há mais de 25 anos.
 

Fonte https://moda.terra.com.br/descubra-os-dez-piores-erros-ao-se-vestir-para...



qui, 16/03/2017 - 18:18

"Quem mendiga amor, acaba sentindo raiva", diz autora sobre dependência afetiva

Lorena Kaz é ilustradora e artista gráfica e, desde que se descobriu sofrendo em um relacionamento abusivo, decidiu ajudar outras pessoas através de quadrinhos. Projeto já rendeu exposições e um livro, lançado neste mês
sab, 11/03/2017 - 18:01

Como usar a calça cigarrete de três maneiras diferentes

Se você tem uma peça que precisa fazer um conjuntinho pois ela só funciona de uma ou duas maneiras, você tem uma peça problema.
sab, 18/02/2017 - 19:53

Sete provas de que as roupas de academia mudaram radicalmente nos últimos 20 anos

A ida para a academia que acompanhava trajes desconfortáveis e estranhos deu lugar a modelos tecnologicamente avançados, confira como era diferente no início dos anos 1900.
sex, 17/02/2017 - 14:50

Carnaval: pegue leve na maquiagem das crianças

Em ocasiões especiais, como o Carnaval, a maquiagem está liberada. Mas prefira produtos infantis