qui, 13/07/2017 - 11:38

Após condenação no caso do triplex, Lula corre risco em outras quatro ações na Justiça Federal

Ex-presidente ainda pode ser condenado por processos que tramitam em Brasília e em Curitiba

A condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a mais de 9 anos de prisão pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR), por causa do triplex no Guarujá (SP), é apenas a primeira de cinco batalhas jurídicas que a Justiça Federal trava contra o petista.

Lula é réu em outras quatro ações criminais que tramitam em varas federais — três nas mãos do juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, e uma sob a análise do "algoz" Sérgio Moro, na capital paranaense.

As denúncias apresentadas pelo MPF (Ministério Público Federal) se iniciaram faz dois anos, e todas foram aceitas por ambos os magistrados.

Na Lava Jato, Lula se tornou réu pela primeira vez em julho de 2015, quando foi acusado de envolvimento na tentativa de suborno do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró — na época, prestes a firmar acordo de delação premiada. O processo por atrapalhar a operação (obstrução de Justiça) tramita na Justiça Federal de Brasília. Naquela ocasião, o então senador Delcídio do Amaral foi preso.

Depois, em setembro de 2015, o ex-presidente se tornou réu em um processo de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, também na Lava Jato. Foi por causa dessa denúncia que Lula foi condenado ontem. O petista era acusado de ter recebido R$ 3,7 milhões em propina da construtora OAS, por meio da reserva e da reforma, conforme gosto da família, do triplex no litoral de São Paulo.

Em outubro de 2015, Lula passou a integrar mais um processo, por corrupção, lavagem de dinheiro, tráfico de influência e organização criminosa. O caso envolve a articulação do petista para supostamente beneficiar a construtora Odebrecht em Angola. As obras foram financiadas pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. A empreiteira teria pago a Lula R$ 30 milhões por meio da empreiteira do sobrinho da ex-mulher dele, Taiguara Rodrigues.

Em dezembro de 2016, Lula e o filho, Luis Cláudio, foram acusados por procuradores da Operação Zelotes. O filho teria recebido R$ 2,5 milhões em propina. O caso investiga intervenções no governo para beneficiar empresas, com ajuda do ex-presidente.

Também em dezembro do ano passado, Lula se tornou réu pela 5ª vez, quando o juiz federal Sérgio Moro aceitou mais uma denúncia do MPF no âmbito da Lava Jato. Nesta última acusação, Lula é suspeito de lavagem de dinheiro. Lula teria facilitado contratos entre a Odebrecht e a Petrobras e, em troca, a empreiteira providenciou a compra do terreno onde seria instalado o Instituto Lula, em São Paulo. 

Fonte:http://noticias.r7.com/brasil/apos-condenacao-no-caso-do-triplex-lula-co...

dom, 23/07/2017 - 10:47

Família Temer negociou com Yunes

Imóveis de R$ 18,4 milhões teriam sido comprados em transações com investigado na Lava Jato
sab, 22/07/2017 - 11:17

Fiança faz Eike pôr à venda lanchas e Lamborghini

Empresário quer evitar a deterioração de bens bloqueados pela Justiça e, ao mesmo tempo, busca se livrar do custo de sua manutenção
sex, 21/07/2017 - 16:52

Meirelles cochila durante discurso de Temer em reunião do Mercosul

Em seu discurso, o presidente destacou a importância da aproximação entre os países do bloco, do qual o Brasil assume a presidência pelos próximos seis meses
sex, 21/07/2017 - 10:45

TJ marca julgamento de Eduardo Azeredo no mensalão tucano para 22 de agosto

Ex-governador foi condenado em primeira instância a 20 anos e dez meses de prisão, e recorre em liberdade.