ter, 21/07/2015 - 09:53

Plano Municipal de Educação é retirado de pauta de reunião na Câmara de Ipatinga

Plano Municipal de Educação foi retirado da pauta de votação, após o pedido de vistas de 24 horas, feito pela vereadora Lene Teixeira

IPATINGA/MG - Na tarde dessa segunda-feira (20), durante reunião ordinária na Câmara de Ipatinga, o Projeto de Lei 66/15, que cria o Plano Municipal de Educação (PME), foi retirado da pauta de votação, após o pedido de vistas de 24 horas, feito pela vereadora Lene Teixeira.

Mais uma vez o plenário foi ocupado por um grande número de pessoas, opositores e defensores da discussão sobre “ideologia de gênero” nas escolas.

Debates acalorados estão ocorrendo em diversas cidades. A polêmica sobre a ideologia de gênero fez com que os plenários das Câmaras passassem a contar com a participação, em grande número, de populares e representantes de entidades.

Na quarta-feira (15) as manifestações durante uma audiência pública, na Câmara de Ipatinga, atrapalharam o andamento da pauta. A secretária municipal de Educação, Leida Tavares, foi interrompida várias vezes enquanto tentava apresentar o PME.

A realização da audiência pública atendeu ao requerimento feito pela Comissão Permanente de Educação, Cultura, Turismo, Esporte e Lazer, que tem como membros os vereadores Toninho do Bethânia (PCdoB), presidente, Ademir Cláudio (DEM), vice-presidente, e Juarez Pires (PT), relator.  A secretária municipal de Educação, Leida Tavares, foi convidada para falar sobre o PME.

O presidente da Mesa, Toninho do Bethânia, precisou utilizar o microfone, várias vezes, para pedir silêncio no plenário. Os participantes se calavam por alguns minutos, mas voltavam a se manifestar, aos gritos, quando ouviam algo que divergia de suas opiniões.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Tumulto em audiência pública na Câmara de Ipatinga
sab, 25/03/2017 - 12:37

Geraldo Hilário nomeia novos secretários

Portaria define titulares da Administração e Educação
sab, 25/03/2017 - 11:22

Vazamentos da Odebrecht complicam chapa Dilma-Temer, Lula, ministro Padilha e partidos

De acordo com Marcelo Odebrecht, a empreiteira doou R$ 150 milhões à campanha de Dilma-Temer em 2014, incluindo R$ 50 milhões como contrapartida de uma medida aprovada no Congresso em 2009 de interesse da construtora.
sab, 25/03/2017 - 10:26

MPT pede a Temer veto integral ao projeto da terceirização

Em nota técnica, procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Fleury, diz que prática fragiliza a efetividade dos direitos fundamentais dos trabalhadores previstos na Constituição
sex, 24/03/2017 - 21:51

Governo suspende abertura de concursos por tempo indeterminado em MG

Medida foi adotada para acatar o parecer da Advocacia Geral do Estado (AGE), uma vez que a despesa total com pessoal do Estado está ultrapassando os 49% permitidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal